Pesquisa e Desenvolvimento

Suporte social: Adaptação transcultural do SOCIAL SUPPORT APPRAISALS e desenvolvimento socioemocional de crianças e adolescentes

A associação entre o suporte social e resultados positivos em saúde tem sido cada vez mais apontada na literatura e o suporte social tem sido considerado como um fator protetivo ao desenvolvimento infantil. Porém, pesquisas associando o suporte social e resultados de saúde e desenvolvimento da criança e do adolescente têm, em sua maioria, focalizado o suporte social dos pais influenciando de forma indireta o desenvolvimento dos filhos; poucos estudos correlacionam diretamente o suporte social recebido e percebido pela criança e aspectos de seu desenvolvimento. O objetivo desse estudo foi identificar possíveis correlações entre o suporte social percebido por crianças e adolescentes em situação de risco pessoal e social e o seu desenvolvimento socioemocional, e como objetivos específicos: a) realizar a adaptação transcultural para o Brasil da escala de suporte para crianças e adolescentes Social Support
Appraisals, e b) identificar associações entre variáveis sobre a percepção do suporte social das crianças e adolescentes, sobre a auto-avaliação da criança no que diz respeito ao seu desenvolvimento socioemocional e na avaliação dos pais com relação ao desenvolvimento socioemocional de seus filhos. Para alcançar os objetivos propostos foram realizados dois estudos. O Estudo 1 envolveu a adaptação transcultural da versão portuguesa do SOCIAL SUPPORT APPRAISAL e o Estudo 2 respondeu pelo estudo de correlação. Foram participantes do Estudo 1, 218 crianças e adolescentes e 10 profissionais de nível superior. Foram realizadas as seguintes análises: Apha de Cronbach, Análise Fatorial e Análise de Variância. Os resultados apontaram para um índice de consistência interna para a escala geral de 0,74, a Análise Fatorial confirmou a estrutura proposta com quatro fatores (família, amigos, professores e outros), pela Análise de Variância foram verificadas diferenças significativas na percepção do suporte social de acordo com série e gênero e idade e série dos participantes. No Estudo 2 participaram 51 crianças e adolescentes com idades entre 11 e 13 anos e seus pais. As crianças e adolescentes estavam vinculadas às instituições não governamentais que oferecem serviços de apoio a crianças e adolescentes em situação de risco pessoal e social. Os instrumentos utilizados para a coleta de dados foram: a versão brasileira do SOCIAL SUPPORT APPRAISALS, o Questionário de Capacidades e Dificuldades, o Questionário de Identificação e Caracterização da Criança e o Critério de Classificação Econômica Brasil. Foram realizadas análises de correlação de Pearson, Análise de Variância e Análise de Agrupamento. Os resultados indicaram que quanto maior a percepção do suporte social total menor os sintomas de dificuldades apresentados pelas crianças e adolescentes; além de disso observaram-se outras variáveis associadas aos resultados de saúde mental e nível de suporte social dos participantes, como por exemplo, repetência escolar, o grau de escolaridade paterno, dentre outros.

Trabalho publicado em Repositório Institucional UFSCar

Link: https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/3027

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.