Pesquisa e Desenvolvimento

Percepção de Expressões Faciais Emocionais em Idosos com Doença de Alzheimer

A literatura vem discutindo acerca da percepção de emoções faciais evidentes em idosos com Doença de Alzheimer (DA). Alguns autores sugerem que os déficits apresentados são decorrentes de problemas visuoespaciais; outros sugerem que são por dificuldades no processamento das emoções; e há os que defendem que esse déficit perceptivo é secundário à evolução da demência. Esta pesquisa buscou investigar os aspectos neuropsicológicos da expressão emocional facial, por meio da aplicação da Escala de Inteligência Wechsler para Adultos-III (WAIS-III) e de um programa de computador desenvolvido pelo Laboratório de Psicobiologia denominado Teste de Percepção de Expressões Faciais (TEPEF), que avalia a percepção de faces emocionais em idosos. Os resultados sugerem que o WAIS-III foi sensível para a diferenciação entre os grupos experimental e controle, mas apresentou pouca especificidade. O TEPEF apresentou consistência para avaliar as expressões faciais de alegria, tristeza, nojo, surpresa e raiva. Além disso, ele mostrou que a percepção de alegria em idosos com DA em fase moderada está relativamente preservada. Conclui-se, portanto, que os prejuízos relacionam-se às emoções negativas evidenciadas pela percepção das faces emocionais, demandando supervisão continuada para os idosos com essas alterações.

Artigo original Publicado em Revista Psicologia: reflexão e crítica

Link: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79722015000400020

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.