Este estudo tem por objetivo conhecer a relação entre a autonomia dos jovens e o tipo de relação estabelecida entre pais e filhos durante a adolescência intermediária. Analisamos também, a relação existente entre os estilos disciplinares adotados pelos pais e as diferentes dimensões da autonomia desenvolvida pelos filhos. Para a coleta dos dados foi aplicado um questionário que investigou dados biodemográficos, assim como uma escala de estilos parentais e um questionário de autonomia. Participaram do estudo 168 jovens, entre 14 e 15 anos, estudantes de uma escola particular da grande Porto Alegre. Os resultados apontaram que existe
uma semelhança entre os estilos educativos adotados pelos pais, mais precisamente, os jovens percebem ambos os pais como negligentes e autorizantes. Não se evidenciou associação entre os estilos disciplinares
adotados pelos pais e as diferentes dimensões de autonomia manifestada pelos jovens. De modo geral, os adolescentes percebem que a mãe é a figura mais presente no processo de educação. Dentre as dimensões avaliadas, a intrusividade materna foi a dimensão identificada pela menina como mais presente na relação que estabelecem, assim como o menino percebe o pai como mais responsivo.

Artigo publicado em Revista PSICOΨ



Tags: , ,


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.