Pesquisa e Desenvolvimento

A arte da contação de histórias: uma experiência de cuidado no projeto de extensão palhasus

A arte de contar histórias é uma arte popular, comum nas mais diversas sociedades humanas, em diferentes momentos históricos. Suas características principais são a transmissão de conhecimentos, saberes, valores e diversão. Este estudo tem como o objetivo investigar a função dessa arte na construção de ambientes emocionais agradáveis, em diferentes espaços de convivência. Para atingir esse objetivo, apresentamos um pequeno histórico sobre a trajetória da arte de contar história, o seu possível desaparecimento na sociedade moderna, em função da industrialização, do deslocamento do ambiente rural para o ambiente urbano e da hegemonia da cultura escrita em detrimento da cultura oral. Apresenta, ainda, o fenômeno do ressurgimento dessa arte, no final do século XX, suas novas características, os diferentes territórios de atuação, os perfis dos sujeitos envolvidos e os novos papéis que essa arte vem realizando nesta sociedade pós-moderna, tecnológica e informatizada. Por ser uma prática que valoriza o saber popular, a transformação de ambientes de convivência, de ensino e aprendizagem e de luta pela desopressão das camadas populares, a arte de contar histórias está inserida no contexto da Educação Popular, em perfeita sintonia com os novos paradigmas emancipatórios, dentro dos territórios da Educação Popular, principalmente nos territórios da afetividade, das emocões e das outras racionalidades. Para estudar os efeitos da arte de contar histórias no processo de transformação e na construção de ambientes emocionais agradáveis, foi realizada uma pesquisa participante, tendo como objeto os estudantes do Projeto de Extensão PalhaSUS, da UFPB, que atuam como palhaços cuidadores, em diferentes espaços de vulnerabilidade social e afetiva, tais como hospitais, casas de saúde, escolas e asilos de idosos. Concomitante às oficinas, os participantes incluíam, nas suas práticas de atuação de cuidadores, os saberes e conhecimentos desenvolvidos nas oficinas. O processo de avaliação utilizado foi o da realização de grupo focal, que municiaram dados para análise do resultado da realização da prática, apresentando seus possíveis desdobramentos e desafios.

Trabalho publicado em Repositório Institucional UFPB

Link: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/8741

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.