Edvânia dos Santos Alves


Esta pesquisa analisou possíveis sentidos da formação humana na adolescência por meio do Programa de Educação Emocional para a Prevenção da Violência (PEEPV) desenvolvido por uma equipe de educadores coordenada por Agustín Vañó, na Espanha. Buscou-se analisar a possibilidade de formação, no contexto escolar, das competências emocionais de autoconhecimento, automotivação, autoconsciência, empatia e habilidades sociais. Foram selecionadas quatorze atividades do PEEPV representativas das cinco competências emocionais mencionadas para serem ministradas a alunos dos sétimo, oitavo e nono anos do Ensino Fundamental. Foram selecionadas duas escolas públicas na cidade do Recife, uma estadual e outra federal. A pesquisa tomou por pressuposto inicial a possibilidade de que as atividades do PEEPV contribuíssem com o desenvolvimento de aspectos pertinentes à formação humana dos alunos do campo investigado, de acordo com as competências mencionadas. Tomou-se igualmente por fundamento a ideia de que os processos educacionais se expressam pelo desenvolvimento de ações éticas e políticas alicerçadas em projetos comuns de convivência solidária e aperfeiçoamento das relações pessoais, sociais e ambientais, instruídas por uma compreensão da integralidade do humano e da formação humanizada da adolescência nos âmbitos psicossocial, familiar e cultural, ideias que são afins ao PEEPV. A estrutura da pesquisa empírica desenvolvida constitui-se de: (1) análise e apresentação do PEEPV, em sua estrutura geral e contexto de surgimento na Espanha, em 2005; (2) seleção, tradução e coordenação do ensino das atividades relativas às cinco competências mencionadas e contidas no PEEPV; (3) relato e análise das impressões sobre o trajeto de pesquisa por parte da autora; (4) avaliação dos resultados da intervenção realizada por intermédio de métodos qualitativos e quantitativos; (5) reflexão sobre as consequências, alcance, limites e possíveis desdobramentos da pesquisa. Quanto à avaliação dos resultados da intervenção por meios qualitativos, foram realizadas entrevistas com seis educadores. Quanto aos procedimentos quantitativos, os resultados foram avaliados mediante a definição de grupos controle e grupos de intervenção em ambas as escolas, com pré e pós-teste em cada grupo, por meio da aplicação de 643 questionários. Foram aplicados dois tipos de questionário: (a) sobre Incidentes de Violência na Escola, e; (b) sobre Educação Emocional dos alunos. O primeiro questionário avaliou a incidência de atos de violência escolar percebidos pelos alunos e classificados em Atitudes de Exclusão (ae), Violência Linguística (vl), Violência Material (vm), Violência Física (vf) e Ameaça e Intimidação (ai). O segundo questionário avaliou o desenvolvimento emocional dos alunos, tendo como referência as competências já mencionadas, por meio de escalas tipo Likert de cinco pontos. A análise dos dados, impressões e informações coletadas e organizadas indicam não existir evidência de desenvolvimento dos alunos quanto às competências mencionadas da educação emocional nos limites da intervenção realizada nesta pesquisa. Não obstante, houve unanimidade entre todos os educadores entrevistados sobre a necessidade e conveniência de se imprimir tal formação aos adolescentes no contexto escolar.


Download

Tags: , , , , , ,


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *