Gerado e esculpido sabe com

O mundo todo lhe é desconhecido

Não há memória ainda nesse domo

Não há vitória que tenha merecido

 

Saber e ignorância não lhe cabem

Desloca-se, mas não se encaminha

Valores e desejos não lhe medem

Vontade que também não tinha

 

Natureza e cultura não separa

Artesão e cientista da caverna

Luz com a escuridão se depara

Inteligência que na demência hiberna

 

Simbólico corpo itinerante

Esconde e revela minha essência

Transcende a eternidade do instante

Consagra o espírito na imanência