Maria Simplício Nascimento


Este trabalho tem como objetivo relatar minha experiência de educadora em um Centro de Juventude da periferia do Estado de São Paulo, com o intuito de demonstrar a importância da afetividade nas relações de quem trabalha na educação, e o efeito dela na aprendizagem do aluno. Os relatos se deram com base em minhas vivencias e os registros das atividades realizadas no centro de Juventude que comprovam que tanto a aprendizagem como as mudanças comportamentais dos alunos vieram a acontecer na medida em que os alunos sentiram se acolhidos, respeitados e valorizados como pessoa. Os estudos de Wallon sobre a afetividade muito contribuíram comprovando o quanto a afetividade pode influenciar positivamente na educação. Ao observar o diário de campo os registros mostravam mudança gradativa no comportamento e aprendizagem dos alunos na medida em que os professores conseguiam visualizar qualidades positivas neles e reconhecendo suas capacidades e potencial os encorajava a aprender. As situações de indisciplina, violência e agressividade, deram lugar a relações pautadas pelo respeito, ao interesse em participar das atividades na ONG e melhora em sua frequência escolar. Percebemos que houve também uma melhora na autoestima dos alunos capaz de trazer efeitos positivos em seu convívio na família e escola. Toda criança tem direito à educação, porém as condições oferecidas para essa finalidade ( poucos investimentos, excesso de alunos por sala de aula , pouca formação dos professores) dificultam a efetivação desse direito.A boa relação entre professor e aluno, com práticas educativas baseadas na afetividade pode ser um importante ingrediente para que ambos encontrem um novo sentido para as aulas, tornando o ambiente escolar agradável e propício ao convívio de todos, propiciando assim as condições para uma boa aprendizagem.

Publicação original: anais IV Conedu

 


Download

Tags: , , ,


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *